NotíciasPolítica

TRE do Paraná nega pedido de Lula

Presidiário não poderá votar nas eleições de outubro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que foi substituído ontem (11) por Fernando Haddad como cabeça de chapa na candidatura à Presidência, não poderá votar nas eleições de outubro. A decisão é do presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, desembargador Luiz Taro Oyama, atendendo a pedido feito por Lula.

Segundo Oyama, para que uma seção eleitoral fosse instalada na sede da superintendência da Polícia Federal, onde o ex-presidente está preso, eram necessários alguns requisitos. Um deles era o mínimo de 20 eleitores aptos a votar no presídio em questão. O desembargador argumentou, porém, que dos oito potenciais presos provisórios no local que aguardavam definição da Justiça para transferência de custódia, apenas Lula “manifestou a intenção de votar”.

Ademais, o prazo para transferência temporária de eleitores, seja para o preso provisório, seja para o voto em trânsito, encerrou-se no último dia 23 de agosto, de modo que não é mais possível transferir o título de eleitor do requerente para qualquer outro local”, disse. A determinação foi tomada no último dia 30 de agosto e confirmada na quarta-feira (12).

De acordo com o presidente do TRE, os eleitores cuja condenação criminal foi transitada em julgado perdem direitos políticos como o de votar. Como esse não é o caso de Lula, o ex-presidente solicitou ao tribunal o exercício do direito. No entanto, com base no Código Eleitoral e em resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Oyama disse que o número mínimo de 50 eleitores para a existência de uma seção de votação em estabelecimentos penais foi reduzido “excepcionalmente para 20”.

O objetivo, segundo ele, é “facilitar a instalação de seções eleitorais para o voto do preso provisório, sem prejudicar outro direito constitucionalmente garantido, que é o sigilo do voto. Por isso, inviável uma seção eleitoral com apenas um eleitor”, escreveu.

Preso em abril após ser condenado pela Justiça Federal de Curitiba pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o ex-presidente teve o pedido de registro de candidatura à Presidência indeferido pelo TSE no início do mês. Devido à Lei da Ficha Limpa, ele foi impedido de continuar na disputa e apresentou nessa terça-feira (11), por meio de uma carta à Nação, o nome de Fernando Haddad, ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo como substituto. Sim, o Haddad que também responde acusações e é alvo de investigações.

Fonte: Agência Brasil

Ver mais

Ricardo Roveran

Aquariano bonitão. Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escreve por amor e nas horas vagas salva o mundo.

Artigos relacionados

3 Comentários

  1. Não se esqueçam! Esta situação caótica existe porque 53 000 000 de brasileiros sem consciência votaram por duas vezes no estelionatário e 56 000 000 de brasileiros inconscientes votaram por outras duas vezes na dilmanta, Por muito pouco não nos transformamos numa Venezuela continental. Agora as esperanças estão sobre um candidato que terá que ser Super Herói para atender as demandas de seus eleitores ou então terá que ser um super ditador estilo Stalin! OREMOS!

  2. É de interesse do Estado que as pessoas vivam na ignorancia. É do interesse do Estado que as pessoas achem que o Estado resolverá seus problemas.
    O capitalismo é a cura para a pobreza.

  3. É Bolsonaro em Brasília e nós nos nossos bairros, assumindo a resonsabilidade pela nossa vizinhança. Se nós não nos sentirmos capazes de influenciar e manter a ordem no local que vivemos não será alguém em Brasília que fará por nós. Terá que haver uma mobilização de cada um de nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close