fbpx

Trump: ‘Para preservar a saúde dos americanos, devemos preservar a saúde da economia’

 


‘Abrindo a América novamente’: O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quinta-feira (16) o plano da Casa Branca para reverter as medidas de distanciamento social e reabrir a economia do país em várias fases – dependendo da localização – em meio à pandemia do vírus chinês.

“Podemos começar a próxima frente de nossa guerra, que estamos chamando de ‘Abrindo a América Novamente'”, disse Trump.  “Para preservar a saúde dos americanos, devemos preservar a saúde de nossa economia”.

O plano, anunciado por Trump, juntamente com a formação de um conselho bipartidário de legisladores de ambas as câmaras do Congresso, dá “recomendações” para que os governadores desenvolvam seus próprios planos de reabertura.

Ele também inclui vários critérios que devem ser atendidos em termos de número de infecções e hospitalizações.

“Não estamos abrindo tudo de uma vez, mas a um passo cuidadoso de cada vez”, disse Trump. “Uma interrupção prolongada, combinada com uma depressão econômica forçada, infligiria uma imensa e abrangente perda à saúde pública”, afirmou o presidente norte-americano, acrescentando que isso poderia levar a um aumento acentuado no consumo excessivo de drogas, abuso de álcool, nos casos de suicídio e doenças cardíacas.

As novas diretrizes federais recomendam que os estados registrem uma “trajetória descendente” de 14 dias, antes de iniciar um processo de reabertura, em três fases.

O documento estabelece que o plano é de responsabilidade das autoridades estaduais, e não federais. Antes da reabertura, os hospitais devem ter um “programa robusto”, que inclua testes de anticorpos para profissionais de saúde.

Os estados devem criar locais de triagem e teste para pessoas com sintomas e recursos de rastreamento de contato, e os serviços de saúde devem fornecer equipamentos de proteção individual, de forma independente, e lidar com surtos se os casos de covid-19 aumentarem novamente.

O documento diz que as recomendações podem ser implementadas a critério dos governadores. Trump se desentendeu com governadores sobre quem tem a autoridade máxima para exigir uma reabertura da economia dos estados.

Na primeira fase da reabertura, as diretrizes estabelecem que grupos de mais de dez pessoas devem ser evitados se medidas de distanciamento apropriadas não forem adotadas. As viagens não essenciais devem ser minimizadas, o teletrabalho deve ser incentivado e as áreas comuns nos escritórios, fechadas.

As escolas seguem fechadas durante a primeira fase, mas locais como cinemas, restaurantes, estádios e locais de culto podem ser abertos com protocolos rígidos de distanciamento físico.

Os hospitais podem retomar as cirurgias eletivas, que são críticas para seus fluxos de receita, e as academias podem reabrir com novos protocolos. Bares devem continuar fechados.

Na segunda fase, aplicável a estados e regiões sem indícios de uma nova onda de casos de coronavírus, as diretrizes recomendam que grupos com mais de 50 pessoas sejam evitados quando o distanciamento social não for cumrpido.

As viagens não essenciais podem ser retomadas nesse período, enquanto as escolas e os acampamentos para jovens podem ser reativados e os bares com “ocupação diminuída no salão principal” podem reabrir.

A fase três inclui pessoal irrestrito em locais de trabalho.

(Com Agência Brasil)

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...