fbpx

Uso obrigatório de máscaras é questionado após menina de 13 anos desmaiar em ônibus escolar e morrer na Alemanha

 


Há pelo menos sete meses, a pandemia do vírus chinês vem devastando vidas e economias em todo o mundo.

Um das medidas restritivas mais adotadas nesse contexto, o uso obrigatório de máscaras fez sua primeira vítima, uma jovem alemã que desmaiou em um ônibus escolar e morreu no hospital. Para muitos, o uso de sua máscara obrigatória causou essa tragédia.

Conforme noticiou o jornal Conexão Política, a estudante de 13 anos desmaiou no ônibus escolar na tarde de segunda-feira (7) e morreu pouco depois.

De acordo com a polícia, houve uma emergência médica no ônibus em Büchelberg, na Alemanha, por volta das 13h45. A menina estava voltando para casa sentada no ônibus em que, além dela, havia mais 32 colegas.

Os bombeiros voluntários locais cuidaram dos 32 ocupantes, enquanto a menina de 13 anos recebeu atendimento médico de equipes de resgate, foi reanimada, mas faleceu no hospital, em Karlsruhe, para onde foi levada.

Ainda segundo o jornal, o Ministério Público de Karlsruhe está investigando o caso e espera o primeiro conhecimento da causa da morte em uma semana, no mínimo. Foi solicitada uma autópsia.

A parlamentar do partido de direita AfD, Dra. Birgit Malsack-Winkemann, questionou nas redes sociais se a máscara pode ter sido a culpada pelo trágico acontecimento. Além disso, ela pediu que o caso fosse esclarecido rapidamente.

“A máscara era a culpada? Um estudante de 13 anos desmaiou no ônibus escolar na tarde de segunda-feira e morreu pouco depois. Chega de loucura! Pelo menos poupem as crianças, porque elas não podem se defender!”, disse a política alemã pelo Twitter.

Valores prejudiciais de CO2

A fim de encontrar uma resposta, um perito juramentado da Áustria provou que os valores de CO2 sob as máscaras aparentemente até excedem os valores-limite legalmente permitidos – e, portanto, provavelmente prejudiciais à saúde – relatou a Wochenblick com exclusividade.

O Eng. Dr. Traindl, engenheiro de proteção técnica do meio ambiente, química técnica e ciências da terra, mediu os valores de CO2 de uma máscara protetora feita por ele mesmo e duas disponíveis comercialmente.

Ele descobriu que os valores máximos permitidos para locais de trabalho foram excedidos muitas vezes. Isso não significa apenas que o uso obrigatório de máscaras prescrito aos cidadãos é uma condição ilegal, mas, de acordo com todos os conhecimentos médicos, esse ar respirável também é considerado anestésico agudo e perigoso para a saúde.

O perito ainda explica que uma concentração de 8% ou mais de CO2 no ar que você respira por um período de 30 a 60 minutos pode levar à morte. Antes disso, surgem dores de cabeça, falta de concentração e inconsciência. O problema físico é que o CO2 é um gás denso e tende a afundar e se acumular em sumidouros adequados; 4 a 5% são considerados “entorpecentes”.

Com informações: Conexão Política

 

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...