fbpx

Vacina chinesa não se mostrou tão eficaz em idosos, diz empresa

 


A empresa chinesa Sinovac Biotech disse nesta segunda-feira (7) que sua vacina candidata contra a Covid-19 parecia segura para pessoas mais velhas, segundo resultados preliminares de um teste inicial a intermediário.

No entanto, as respostas imunológicas desencadeadas pela vacina foram ligeiramente mais fracas em comparação a pessoas com menos de 60 anos.

De acordo com a Reuters, autoridades de saúde estão preocupadas se as vacinas experimentais podem proteger efetivamente os idosos, cujo sistema imunológico geralmente reage de forma menos robusta às vacinas contra o vírus chinês.

A candidata da Sinovac, CoronaVac, não causou efeitos colaterais graves em testes combinados de fase 1 e fase 2, lançados em maio, envolvendo 421 participantes com pelo menos 60 anos, disse à Reuters Liu Peicheng, representante da mídia de Sinovac. Os resultados completos não foram publicados, nem disponibilizados.

A CoronaVac, testada no Brasil e na Indonésia no estágio final de testes para avaliar se é eficaz e segura o suficiente para obter aprovações regulatórias para uso em massa, já foi dada a dezenas de milhares de pessoas, incluindo cerca de 90% dos funcionários da Sinovac e suas famílias, como parte do esquema de vacinação de emergência da China para proteger as pessoas que enfrentam alto risco de infecção.

O assunto foi pauta no Boletim da Manhã desta terça-feira (8):

 

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...