fbpx

VINHOS NOVOS EM ODRES NOVOS

 


A estratégia da Suprema Corte é usar Celso de Mello, Barroso e Alexandre de Moraes como testas de ferro contra o Presidente Jair Bolsonaro. Por que?

Celso de Mello está para deixar a Corte no fim do ano e quer sair como “aquele que desafiou o ditador da direita”. Já Alexandre, o motivo é incógnito, mas o evidente receio da PF torna-o suspeito de toda sorte de especulação. Por fim, resta Barroso.

Ele pode sepultar o Partido Aliança, na tentativa de sepultar o presidente em 2022, uma vez que Bolsonaro está sem partido atualmente, além de inviabilizar a migração de dezenas de deputados que estão acorrentados aos PSL, sem poder sair do partido.

O golpe é evidente. Como a tentativa de usar Moro falhou e os deputados não conseguirão iniciar um processo de impeachment, a única manobra que sobrou, por mais arriscada que pareça, é usar a mais alta corte do Judiciário tendo em vista o engessamento das ações do Executivo (qualquer ação, até nomeação de faxineira), desviar o foco do Congresso e usar o “peso da Lei” contra Bolsonaro.

O Executivo, único Poder que não violou uma vírgula da Constituição, está sendo colocado contra a parede por causa de uma violação não cometida, não desejada ou sequer expressa. Buscando criminalizar até quem ouse PENSAR ou PEDIR uma solução presente na Constituição — como o Art 142 da Carta Magna.

Vinho novo não pode ser colocado em odres velhos, já ensinava a Sagrada Escritura. Salvaguardando as proporções entre um exemplo é outro, utilizando uma analogia, porém, própria, é importante destacar que o que ainda resta do vinho velho grita por sobrevivência. Executivo e Judiciário não suportam mais as mudanças realizadas pelo Executivo, a saber, mais BRASIL e menos Brasília.

Quem ganha nessa guerra política? Quem sabe agir em uma guerra de fato. Só quem se prepara para uma guerra pode saber agir em uma que seja política.

Não estamos em tempo de blefe, ao menos não deveríamos. Se as FFAA querem estar ao lado da Constituição, não tolerará qualquer ação inconstitucional daqueles que ora ocupam Legislativo e Judiciário.

Aguardemos os próximos capítulos, pois a semana promete.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...