Volume de investimentos estrangeiros no Brasil somam US$ 17,9 bilhões no 2º trimestre



No segundo trimestre deste ano, o Ministério da Economia identificou 36 projetos de investimento estrangeiro direto no Brasil, provenientes de 22 empresas de cinco países: Estados Unidos (EUA), China, Japão, França e Itália.

Do  total dos projetos, 28 são investimentos confirmados com valor aproximado de US$ 15 bilhões. Quando considerados também os investimentos anunciados e ainda sem confirmação, o valor total sobe para US$ 17,9 bilhões.

A França, que está entre os dez países com mais investimentos no Brasil em 2018, foi o país que mais se destacou em termos de valores de investimentos confirmados no trimestre (US$ 8,6 bilhões), seguida por Itália (US$ 4,2 bilhões) e Japão (US$ 2 bilhões). A China e os EUA apresentaram os menores números, com US$ 213 milhões e US$ 131 milhões em investimentos, respectivamente.

Em projetos confirmados, dentre os cincos países, Japão e EUA foram os que fizeram o maior número de anúncios, totalizando sete investimentos cada, no período analisado. França e Itália confirmaram seis projetos cada um. A China, apesar de ter anunciado quatro investimentos, confirmou apenas dois projetos até agora.

As informações fazem parte da segunda edição do Boletim de Investimentos Estrangeiros – Países Selecionados, publicação da Secretaria Executiva da Câmara de Comércio Exterior (Camex), referente ao período de abril a junho de 2019.

Mercosul

O Ministério das Relações Exteriores já previa que o acordo de livre comércio elevaria as relações econômicas e políticas do Brasil a um novo patamar. Sem o acordo, o Brasil já era um destino atrativo ao investimento estrangeiro.

Segundo o Itamaraty, o aumento de investimentos no Brasil, em 15 anos, será da ordem de US$ 113 bilhões. Com relação ao comércio bilateral, as exportações brasileiras para a UE apresentarão quase US$ 100 bilhões de ganhos até 2035.

Dados da Unctad, agência das Nações Unidas para o comércio internacional, mostra que entre os dez países com mais investimentos no Brasil em 2018, seis estão na União Europeia: Holanda (1º), Alemanha (3º), Espanha (4º), Luxemburgo (6º), Reino Unido (7º) e França (9º). Somados, responderam por 48% do investimento direto estrangeiro (FDI, na sigla em inglês) no país.

Os investidores estrangeiros tem grande interesse sobre o Mercosul e a expectativa é de que os investimentos só aumentem no Brasil.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

"Cheguei mesmo à conclusão de que escrever é a coisa que mais desejo no mundo" (C.L.) | Jornalista, Católica, 22 anos,

4 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Nacionalismo??!
    Não!

    ‘Direitistas alienígenas’ que entregam tudo que nos pertence para ‘investimento estrangeiro’ e expõem como algo ‘benigno’ e ‘maravilhoso’?
    Ounnnnn! Conte mais!

  • Tem Razão Marcio Cruz…
    Melhor você ir pra Cuba ou Venezuela antes que os americanos comprem a amazônia kkkk
    Investimento é sempe bem vindo e estamos mais que preparados com mão de obra ociosa e cidades para serem desenvolvidas.

  • Parabéns Bruna!
    Sabemos que o país está emum novo rumo e os esquerdistas atrasados, burros e aproveitadores não aceitam. Matérias como a sua só nos provam que votamos certo e as mudanças estão ocorrendo.

  • A abertura do mercado brasileiro ao capital estrangeiro, é essencial para alavancar a nossa economia, que recentemente, saiu da maior recessão da nossa história: Inflação, desemprego, corrupção generalizada e institucionalizada em todos os setores da República. Se esse capital está retornando, é porque tão encontrando um ambiente seguro e favorável, graças aos estímulos com as reformas macro e micro, implementada por Bolsonaro.